Tag: gravação

Video Guitar Session

Video report of guitar recording. Please comment on our Youtube channel.


Studio report – Dia 4 (Vocais)

Hell-o Shoggoths!
Seguimos agora para nosso último estúdio report – Os vocais!
          Dia 05/01 foi o último dia  da gravação, e “Horns up” pros vocais! Rogério Mendes depois de quase 16 anos sem entrar no estúdio mostra suas cordas vocais ao mundo. Rogério chegou a Natal quase 11 horas da manhã junto com Wilfred Gadelha, vocalista do Cruor que gentilmente veio fazer essa participação no cd Daemoncraft. O papel de Wilfred foi o de dividir uma letra em português Demônios de Lava – “Demon of Lava “(a surpresa do CD é essa), uma versão cantada em português por Rogério e Wilfred. E adianto, ficou duka! Olhe lá se não continuarmos com a ideia no futuro!
Fomos almoçar a abastecer o cooler, a tarde prometia!!!

Chegamos ao estúdio, e como sempre, Leo estava lá! com tudo arrumado, um puta profissional que merece todo o nosso reconhecimento, pela paciência mastodôntica inerente dessa profissão, boa vontade, e o principal…SACO!! Parabéns Leo! Montamos os mics e iniciamos o SET com Demon ov lava em Inglês – Rogério foi logo metralhando seus urros e encaixando sua linha de voz matadora, marcando o refrão da música com maestria. Na música Daemoncraft Rogério encaixou um back fudido sendo corroborado com Wilfred o tema, muito bom!

The power of ye que é a música mais trash do disco, e que eu pessoalmente achava a menos interessante ressurgiu como uma grande música, refrão cativante, muita subida de voz, muito boa! Rogério se supera mais uma vez – Feeling puro! Cthulhu the unspeakable, Necronomicon, The old ones are, The old ones shall be e Worshiping dark thoughts vieram na sequencia mostrando um Rogério bem agressivo e com personalidade, dando alma as músicas, fazendo com que Cthulhu ficasse orgulhoso daquele momento. A gravação da voz finaliza com a versão em português para Demon of lava, recebendo o nome de Demônios de Lava.

Wilfred Gadelha vocalista da banda Cruor de Recife banda que espalha sua desgraça pelo Recife desde os anos oitenta dividiu com Rogério backs e estrofes fazendo os dois uma versão digna dos anos oitenta, nostálgica e com muito felling.

Vocais encerrados e eu já bêbado com 6 long necks!

 

 


Studio Report – Dia 3

Hell-o shoggoths!

Hoje falarei sobre o dia 3 –  o Baixo.

             Adriano trampava o dia todo e só estava disponível à noite, peguei-o no trabalho às 18hs para agilizar o processo da chegada ao estúdio. Adriano usou seu baixo fretless para gravar depois de testar o baixo ativo, outros timbre etc. O set foi bem simples, Um pré-amp Hartke sendo enviado para um direct box  usando dois canais para o baixo. Com esse set Adriano se sentiu a vontade para gravar. Acho que baixo para gravação é bem tranquilo e se existe uma pessoa tranquila essa pessoa é Adriano.
Adriano plugou seu fretless e mandou brasa, a sonoridade ficou bem interessante, deu um trabalho pra Leo!!!! Enfim, a gravação do baixo deu-se em 3 horas, foi preciso arrumar algumas marcações que não fizemos na pré-produção, no mais, foi tudo em ordem, próximo post, os vocais!!


Sanctifier Studio Report – Dia 2

Hail Shoggoths,

Hoje falaremos sobre as guitarras.

Chegamos eu e Victor ao estúdio e fomos logo montar o set, composto por uma cabeça Marshall JCM 900 valvulado e MESA BOOGIE Rect-o-verb valvulado com falante celestion. Ficamos na dúvida sobre quais sets de pedais usar – testei o Metal Muff da Electro Harmonix, Após o Dirty Bomb da barber electronics, todos com o equalizador de 10 bandas KFK (Kerry King) signature, e por último liguei apenas um DS1 BOSS Laranjinha customizado que possuo, ele teve uma modificação em seu circuito sendo adicionada uma chavinha com três timbres a mais e maior ganho, se quiserem depois eu repasso o contato da empresa de modificação.

Quando ligamos o laranjinha direto no Marshall…meu..me arrepiei….som dos anos 80, naquele momento subiu a alma todas as distorções clássicas: morbid angel altars,Dark Angel, incubus serpent’s temptation, obituary..etc fiquei satisfeito. Fui pesquisar o segundo timbre.

O segundo timbre procuramos pelo Mesa Boogie levamos um bom tempo querendo tirar os estalos do amp característicos dos amps mesa o que me incomodou fazendo com que eu optasse apenas pelo primeiro set, resumindo! Uma guitarra gravei com o DS1 ligado direto no marshall + celestion e o set dois eu agreguei o KFK ao DS1 mudando o timbre um pouco mais para o grave. Quando juntou as duas ficou na cara!! Distorção muito boa!! Agradando não só a mim como a Victor , Marcelo e Leo do estúdio.

Iniciamos as gravações, começando com cthulhu the unspeakable, senti certa dificuldade em gravar as músicas pq sempre imaginei fazendo apenas minha parte nas gravações mas, tive que pensar durante muito tempo como dois guitarristas, marcação, dueto, paradas, o que me fez chegar a conclusão com Victor de que um guitarrista apenas é muito bom, pelo menos para gravar!! Mesma pegada, mesma dinâmica, mesma velocidade, mesmo punch, ou seja, diferença de um canal para o outro mínima! Imperceptível, claro que adicionei minhas estranhezas características.

Continuei a sequência normal gravando todas as guitarras e dois solos, a galera me perguntou “pow Alexandre nove músicas e só dois solos?” é isso mesmo, me considero mais um compositor do que um solista, gosto de uma firulistica de vez em quando, mas gosto mesmo da morbidez e do espaço da música, da dissonância, do corpo tonal e não de uma masturbação escalística.
Finalizamos exaustos e esperando dessa vez o baixo Hoje dia 04/01.


Studio Report – DIA 1 (Cthulhu Awakening)

Hail shoggoths,

Iniciaremos aqui nosso studio report dia 1:

          Para o sanctifier esse dia foi muito especial, tendo em vista voltarmos para um studio “de verdade” após longa data. Eu digo studio de verdade por que optamos na época do awaked pelo studio caseiro, fazendo com que naquele lançamento fosse a melhor alternativa.

Hoje em dia com o sanctifier mais amadurecido e entendendo mais de equipamentos e studio, recebemos todo o suporte do experiente Victor Fábio  (Victor foi ex-membro fundador da banda e atualmente montou um studio de gravação no Rio de Janeiro o FLAMES acompanhando como engenheiro de palco pelo Brasil as bandas gringas Marduk, Dark funeral, Morbid Angel, Dying Fetus, Gorgoroth, Belphegor…etc.) o que nos deixou mais a vontade nesse ambiente.

A gravação estava marcada para iniciar 14hs, chegamos um pouco mais cedo e fícamos esperando o grande Leo do studio chegar, ao abrir o studio Marcelo foi logo montar seu set de bateria e Victor  familiarizar-se com os microfones, já que pretendia usar um set bem complexo. Após a escolha das armas Marcelo montou a bateria e Victor preocupou-se em afinar as peças e deixar tudo falando a  mesma língua, após tudo isso com 2 microfones no bumbo, dois na caixa, 4 de ambiência (nunca tinha visto isso)..etc, etc Iniciamos a gravação.

Pluguei meu DS1 Customizado pela L Sollo Effects direto na mesa apenas para dar uma cara na guitarra chamada de “guia” e começamos por “Demon ov lava” acertamos o clique em 220bpm e mandamos brasa, seguidas de “Cthulhu the unspeakable”,” necronomicon”, “tentacles”, “The power of ye”,” Daemoncraft”,” The old ones are, The old ones shall be” e finalizando com “Worshiping dark Thoughts”, O curioso é que todos os “cliques” que nós setamos para cada música foi um tempo diferente, Insane!!!

Levamos cinco horas para gravar, desse tempo 3 horas foram gastar para montar e ficar no ponto para gravar, sendo contabilizado apenas 2 horas tendo em vista um problema técnico do studio finalizando com 4 horas no dia 1.

Marcelo estava bem feliz por ter gravado todo o CD em 2 horas somando um tempo total de 45min de gravação. O resultado da batera foi incrível (Marcelo ganhou o apelido de Machine Gun por Victor) uma massa sonora como se fosse uma tempestade chegando. Hoje dia 03/01 será a minha parte: “As Guitarras” Acompanhem e comentem! Até lá!!


Track list do CD Daemoncraft

Esse é o track list do DAEMONCRAFT. As gravações iniciarão dia 02/01 indo até 09/01. Após a gravação Victor levará as músicas  para o studio FLAMES no Rio de Janeiro para mixar e masterizar.

1 – Daemoncraft
2 – The elder sign by darleth’s
3 – Worshiping dark thoughts
4 – Demon ov lava
5 – The old ones are, the old ones shall be
6 – Cthulhu – the unspeakable*
7 – Necronomicon*
8 – Tentacles
9 – Invocation of a shoggoth

* originally appear on Split “In death metallic brotherhood”


Ensaios para o CD

Os ensaios do Sanctifier para o CD estão em pleno vapor. Ensaiamos aos sabádos no Studio R sempre no final da tarde tendo em vista Rogério chegar às 15h em Natal. Estamos com 4 músicas prontas para o CD, prontas no sentido de serem tarimbadas como “pegas” por Rogério e Adriano. Cthulhu – the unspeakable, Necronomicon, Tentacles e The invocation of a shoggoth.

Temos  eu e Marcelo mais 4 músicas prontas ainda de 4 anos atrás quando planejávamos gravar e avançamos agora essas 4 músicas para Adriano e Rogério. Quando chegar mais perto da data da gravação ensaiaremos com mais regularidade e focados único e exclusivamente em gravar.

Mitchell está pegando ainda as 4 músicas já pegas e malhando em casa para se integrar na formação.

Pretendemos gravar 9 músicas e um cover para entrar de bônus no lançamento em vinil ou qualquer outro lançamento. Alguma sugestão de cover?


  • I’m A Fan

  • Sanctifier's songs

    Flash required
  • Copyright Sanctifier and Thane Ahrens 2011
    Jarrah theme by Templates Next | Powered by WordPress